Ruy Noronha Miranda (1914-2010)

Foi um destaque na medicina do Paraná, na área de ensino, pesquisa e pratica médica. Nasceu em Porto Alegre (RS), dia 29 de julho de 1914, filho de Alcebíades Miranda e Paulina de Noronha Miranda. Após os estudos básicos, formou-se em Medicina pela Universidade do Paraná, em 1938. Fez diversos cursos de pós-graduação em Saúde Pública, Leprologia, Dermatologia, Medicina Militar e Cancerologia. Foi um dos fundadores do Conselho Regional de Medicina, além de integrar o primeiro grupo de conselheiros da entidade médica. Também foi um dos primeiros médicos a receber o Diploma de Mérito Ético-Profissional do CRMPR. Ocupou vários cargos administrativos, entre os quais o de diretor da Divisão de Lepra do Estado do Paraná e do Hospital Colônia São Roque. Exerceu a presidência da Sociedade Brasileira de Dermatologia e a vice-presidência da Associação Médica Brasileira, fundou a Regional da Sociedade Paranaense de Dermatologia. Ingressou na carreira do magistério superior em 1941.

 

Docente livre da cadeira de Doenças Tropicais Conquistou com brilho a Cátedra de Dermatologia e Sifilografia da Universidade Federal do Paraná. Fundador da cadeira e primeiro professor de Dermatologia da Faculdade de Ciências do Paraná. Transformou-se em verdadeiro cientista pelo empenho demonstrado na pesquisa do mal de Hansen. Legou à medicina 19 novas e originais contribuições nesse campo. Dedicou-se simultaneamente à literatura, poesia e jornalismo, mantendo-se durante muito tempo no jornal “Gazeta do Povo”, de Curitiba, na coluna denominada "Os Mistérios da Vida". Publicou 15 livros, 200 trabalhos científicos e 43 relatórios de observações sobre a atividade profissional. Fundou dois periódicos científicos: Publicações do Centro de Estudos Leprológicos e Divulgação Científica.

 

Como pesquisador fundou o Centro de Estudos Leprologicos Sousa Araujo da Universidade Federal do Paraná, onde publicou durante 20 anos a Revista do Centro de Estudos Leprologicos com trabalhos inéditos, como o fenômeno Mitsuda, o tratamento da esporotricose pela esporotriquina, sendo seu diretor até 1984.

 

Organizou o Ambulatório de Dermatologia da Santa Casa e deu início ao seu atendimento gratuito, até 1957. Em 1954 lecionou, gratuitamente, Dermatologia, na Escola de Enfermagem “Madre Léonie”; também até 1956, contribuindo para a criação da PUC-PR.

 

Em 1959 foi Eleito Membro Efetivo da Academia de Letras José de Alencar, ocupando a cadeira n.º 25, “Emilio de Menezes” e da Academia Paranaense de Medicina. Em 1960 foi titular da disciplina de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná durante 2 anos. Ruy Noronha Miranda fundou o Serviço de Dermatologia do Hospital de Clínicas da UFPR na década de 60 e juntamente às suas atividades de médico, professor, escritor e filósofo – dedicou sempre um interesse particular ao estudo da hanseníase, possuindo avantajado número de produções a este respeito.

 

Em 1967, foi contemplado com o Prêmio Nacional de Leprologia do Brasil e, em 1971, com a medalha de ouro da Ordem do Mérito da Polônia. Escritor fecundo, suas produções revelam toda a profundidade do seu espírito arguto. Suas crônicas são repassadas de humanismo. De sua bibliografia, destaca-se: Em Viagem Pela Europa, 1953; Viagem a Antártida, 1978; Viagem Através da Vida, 1981; Quatro Pequenos Estudos, 1981, além de outros títulos de natureza científica. Foi presidente da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores entre 1984 e 1986 e da Regional Paraná.

 

Soube formar com sabedoria sua equipe de professores altamente qualificados na área de Dermatologia. Foi humanitário, ético, personalidade forte e muito caráter. Professor Miranda deixou um legado na Historia da Dermatologia do Paraná.

 

Cidadão Benemérito do Paraná. Instituidor, criador e presidente da Fundação Pró-Hansen, permanecendo na atividade até seu falecimento no dia 27 de maio de 2010, aos 95 anos.

gallery/prof ruy miranda
gallery/prof ruy miranda_fórum
gallery/fph_prof ruy miranda 2
gallery/fph_prof ruy miranda

Louvado seja o Senhor que nos concede os dons da vida, da pátria, da família, do alimento, da profissão, do trabalho, da moradia, das amizades e, particularmente desta obra que é a Fundação Pró-Hansen.

 

Louvado seja Ele, também, porque nos fez conhecer e viver o amor, sob todas as suas formas, especialmente essa que aqui, na Fundação Pró-Hansen, dedicamos ao nosso próximo necessitado e sofredor.

 

Por isso tudo, somos imensamente gratos ao Altíssimo, pedindo-lhe também que nos conserve unidos e empenhados para que esta Obra não pereça e continue a contribuir para Sua glória e para o bem da humanidade.

 

Oração escrita pelo 

Professor Dr. Ruy Noronha Miranda

Em 18 de julho de 2002

O SONHADOR

Ruy Miranda

 

 

Eu sonho acordado, eu sonho dormindo,

Com tudo que um dia eu quisera alcançar;

Com tudo que os homens proclamam que é lindo

Que são tantas cousas que eu quero lhes dar.

 

Eu sonho que o pobre se torna mui rico,

Que o triste se volta de novo a cantar,

Que aquele que chora, seu mal modifico

E me olha sorrindo em vez de chorar;

 

Que a fome de muitos se torna alimento

Que vem do infinito e cai sem cessar,

Que o enfermo que sofre na carne o tormento

O alívio bendito começa a provar.

 

Eu sonho que a dor do dolente, alivio,

Que o fraco eu transformo num bravo a lutar,

Que espinhos são flores... Assim, principio,

Ufano, acordado, de novo a sonhar:

 

Que as trevas são luzes que estão no caminho

Daquele que ainda não soube pensar,

E aquele vivente que andava sozinho

Recebe o conforto que todos vêm dar;

 

Que a fé que fugira de dentro de um ente

De volta lhe veio de novo alegrar,

E o ódio de muitos se vai, de repente,

Pois eles agora já sabem amar.

 

Senhor! Que lá no alto, humilde eu bendigo,

Enquanto não pode tudo isso nos dar,

Dá muitos poetas ao mundo e, comigo,

Permitas que vivam também a sonhar.